BLOG

Definindo limites: como educar a vida digital de seus filhos

o-CYBERBULLYING-facebook.jpg

Atraídos pela tecnologia e pelos entretenimentos que ela proporciona, o número de adolescentes e pré-adolescentes que sofrem com o cyberbullying, com a pedofilia e com o sexting (envio de mensagens com fotos íntimas, também conhecido como “nudes”) tem tido um aumento considerável a cada dia. E esse constrangimento virtual não tem escolhido sexo nem idade.

Quer saber como evitar que seu filho passe por essas humilhações virtuais? Leia este post até o fim e descubra!

Tipos de Cyberbullying

São inúmeros os tipos de cyberbullying registrados na internet. Dentre os principais estão os seguintes:

  • Discussões com ofensas agressivas.
  • Assédios com a intenção de intimidar a vítima.
  • Difamação e injúria, ou seja, espalhar boatos e rumores que prejudicam a reputação da vítima.
  • Roubo de identidade, quando o agressor se faz passar pela vítima, utilizando seu nome para proporcionar constrangimentos ou até mesmo danos.
  • Exposição da intimidade, quando se espalha segredos ou imagens que comprometam a vítima, aqui se inclui o sexting  e também a pedofilia.
  • Afastar pessoas de um modo intencional de algum grupo ou comunidade.
  • Mensagens ameaçadoras às vítimas.
  • Happy Slapping, quando o agressor escolhe uma vítima intencional na rua e a filma batendo nela. Após isso, expõe este vídeo na internet para humilhar ainda mais a vítima.

Como prevenir?

Existem algumas formas de prevenir que seus filhos passem por estas humilhações desnecessárias. Veja algumas delas.

Restrição de horários

Estudos em universidades no mundo todo têm apontado que o cyberbullying está ligado ao tempo de permanência dos adolescentes na internet. Para reduzir os riscos a tais constrangimentos, é necessário tomar alguns cuidados, como restringir horários para que eles utilizem a internet.

O ideal é que, para crianças, a internet seja liberada por 1 hora, em média, além do que for preciso para trabalhos escolares e 2 horas, além do uso para trabalhos, para adolescentes.

Os estudos também indicam que o cyberbullying tem sua maior ocorrência pela madrugada, logo, uma boa ideia é liberar o acesso somente durante o dia, ou até uma certa hora da noite.

Restrição de sites

Instale um programa de controle parental, que evita que seu filho acesse sites pornográficos e outros tipos que não são apropriados para a idade deles.

Um acompanhamento de perto dos sites que eles visitam e o que eles postam nas redes sociais também é essencial. Tome muito cuidado com o que é postado no perfil de redes como o Facebook, onde podem ser deixados dados que possam ser roubados e dar chance para os agressores se aproveitarem disso.

Restrição de Whatsapp

No Whatsapp, por ser um aplicativo de mensagens instantâneas, a velocidade com que fotos e vídeos são transmitidos é espantosa. Por este motivo que se deve também monitorar o uso do aplicativo.

Assim como os adolescentes precisam de limites no mundo físico, no virtual não pode ser diferente. Prevenindo o cyberbullying também vai prevenir que seu filho sofra de constrangimentos que podem levá-lo a ter depressão e até mesmo a situações extremas, causadas por vergonha social, como casos de atentados contra a própria vida já registrados diante de situações vexatórias no ambiente virtual.

Que tipo de atitude você tem tomado para evitar o cyberbullying? Compartilhe sua experiência com outros pais nos comentários!